5.03.2016

A Meditação Nyepi - Bali, Indonesia - Grande Almanaque Mauj


Vou te ensinar uma meditação muito bonita que aprendi em Bali, na Indonésia.

No ponto de vista ocidental (aqui não vai nenhuma crítica) condiciona-se Felicidade (em maiúscula, sim) com muita agitação, barulho, euforia.

A gente aprendeu que Alegria é algo que corre pelos ambientes em risadas altas, braços que sacodem, pulos, gritos, festas animadíssimas, gente e mais gente, superlativos.
Beijar, beber, comer e transar muito! Tudo a mil! Euforia sensorial.

Já o Silêncio (maiúscula, novamente)... é tristeza, morte, fome.
Coisa de velório, de gente morta; depressão pelo vazio ou solidão.
Falta de movimento, inércia.

Concordou com o que escrevi acima?
Caso sim, vamos mudar alguns paradigmas.


Proponho, então, um exercício mental - A Meditação Nyepi.

Puxe em sua mente aquele momento que, em silêncio, você se emocionou profundamente - por exemplo a apresentação musical dos filhos na escolinha, a lembrança com saudades de alguém, abraço dos seus avós, uma palavra de amor ou um presente ganho...

Lembre-se também daquela pessoa que te magoou, ofendeu, te fez um grande mal ou te causou grande tristeza.

Lembrou? Sentiu?
Certeza que você acabou de sentir grandes emoções.
Em silêncio.


Nem sempre a Felicidade/Tristeza acompanha movimento e perturbação sensorial exterior.
Sentimentos e emoções estão dentro de você. Em silêncio ou não.
Tudo é de dentro para fora, não ao contrário.

Nyepi, "silêncio" em bahasa, o idioma da Indonésia.
Momento do Silêncio.

Você para, silencia e medita, para que o "barulho" será feito apenas pela mente e sentimento.
Seu próprio ruído, da sua mente e nada mais.

Uma pausa meditativa, que se traduz em auto-avaliação, encontro do Eu.
Reflexão do que passou, caminhos a escolher.

Silenciando, quem fala é sua alma, seu anima.

No Nyepi fazemos com que dores sejam relevadas, ofensas perdoadas, inimizades mitigadas.
O Passado deve morrer e ser enterrado.
Sonhos sejam construídos, amores verdadeiramente sejam sentidos, o Bem realizado.
O Futuro deve nascer, ser projetado e construído.
Tudo na mente, para que depois se manifeste no mundo físico.


Encontra-se seja física ou mentalmente o mal, o inimigo. Estende-se as mãos.
Através do sentimento, do coração, é emitido um pedido de reconciliação e perdão mútuos.
Reconcilia-se com tudo e todos.

Preconceitos são revistos, conceitos idem.
Momento de criar compaixão, entender o próximo sem julgar.
E principalmente, perdoar-se.


Na pausa mental, buscar sentir o que verdadeiramente importa para você, o que realmente lhe traz felicidade. Independente das ilusões do mundo.

Quando dominamos a arte do Nyepi, desse silêncio produtivo, não nos abalamos com o mundo.
Podem nos elogiar como a maior maravilha do mundo; nos xingar de gordo, feio, infeliz, burro, que nada mais importa. Nosso Ego não flutua ao sabor das ondas do mundo, pois o mesmo passa a ter um valor muito menor. Seu mundo e nada mais.

O silêncio interior se faz de escudo, protege, perdoa e cala a voz do agressor, que não encontra ouvidos.
O mal falará sozinho, não mais dentro em você.

O seu ponto de referência à Felicidade deixa de ser o ilusório, a falsa vaidade, o externo. O que está em sua alma é o que realmente importa e te faz feliz.

Muito mais centrado na voz de sua mente, diminui-se a necessidade de brigarmos com o mundo. Redescobrimos a felicidade nas coisas grandes ou pequenas, mas que para nós são verdadeiramente importantes e tanto faz a aprovação alheia.


Após esta meditação silenciosa, balineses oram à divindade Sand Hyang Widhi Wasa, o Deus Completo, para que limpe os erros e maus sentimentos da humanidade (bhuwana agung). E principalmente que cure e purifique o nosso mundo interior (bhuwana alit).

Aprenda a ter seus momentos de Nyepi. Te trará um grande equilíbrio.


Todo ano há um dia especial para celebrar o Nyepi, em Bali.
A ilha para totalmente, em uma enorme meditação coletiva e silenciosa.
Em seguida é realizado um belíssimo festival, simbolizando a purificação pessoal e do mundo.


Nenhum comentário: